No dia 24 de outubro de 1929, a Bolsa de Valores de Nova York teve uma queda sem precedentes, conhecida como Black Thursday. Esse foi apenas o começo do que se tornou o Crash na Bolsa de Nova York.

As causas desse evento foram muitas. Uma delas foi a especulação excessiva. Durante a década de 1920, muitos investidores foram atraídos pela euforia do mercado e investiram dinheiro em ações com pouca pesquisa e discernimento. Muitos também compraram ações com dinheiro emprestado, o que levou a dívidas crescentes e a inadimplência.

Outra causa importante foram as políticas econômicas da época. Por exemplo, o Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, manteve a taxa de juros baixa, o que facilitou a especulação e o endividamento. Além disso, após a Primeira Guerra Mundial, muitos países começaram a proteger suas indústrias e limitar as importações, levando a uma queda no comércio internacional.

A queda na Bolsa de Nova York teve consequências significativas. O valor das ações caiu em mais de 80% e milhares de investidores perderam suas economias. O efeito dominó da queda na Bolsa espalhou-se para todo o setor financeiro dos Estados Unidos, com empresas falindo e bancos fechando.

A Grande Depressão que se seguiu trouxe sofrimento para milhões de pessoas. O desemprego atingiu níveis alarmantes, com cerca de 25% da força de trabalho desempregada. Além disso, famílias inteiras foram despejadas de suas casas, e muitas pessoas passaram fome.

Para tentar estabilizar a economia dos EUA, o governo do presidente Franklin D. Roosevelt implementou uma série de políticas, incluindo o New Deal. Esse programa incluía investimentos em projetos de obras públicas e programas sociais, além de regulamentação e supervisão do mercado financeiro.

O Crash na Bolsa de Nova York de 1929 foi um evento catastrófico na história da economia mundial. As consequências desse evento reverberaram por anos e tiveram um impacto significativo na vida das pessoas. É uma lembrança importante do papel que os mercados financeiros desempenham em nossas vidas e do quão vital é uma regulação adequada para evitar desastres como esse no futuro.